Como usar as vendas para pôr as contas em dia sem depender dos bancos.

7/2/2019



Um dos desafios para as micro pequenas e médias empresas é o de manter as contas em dia, especialmente no início do ano. Isso porque os meses de dezembro e janeiro trazem gastos extras como 13º, férias, festas e bonificações de fim de ano e IPVA, entre outras obrigações. Em meio à correria, muitos gestores esquecem que é possível usar as próprias vendas em vez do crédito emergencial bancário, que é bastante caro, como capital de giro.

A estratégia consiste em trazer o dinheiro que entraria no caixa só no futuro para o presente, através da antecipação de recebíveis.

Uma das modalidades mais comuns deste método é o uso de duplicatas. Nele, a empresa consegue adiantar o pagamento de uma venda a prazo mediante um desconto. A cobrança, nesse caso, é bem menor do que os juros de opções como cartão de crédito e cheque especial.

Esse tipo de serviço é prestado por empresas financeiras. Nele, são criados documentos (duplicatas) com base nas notas fiscais de venda que se quer utilizar. Elas contêm informações sobre a venda, valores, devedor e credor. Ao fazer a antecipação, a instituição financeira passa deter o direito de receber o valor devido. Desse modo, arca também com o risco de um eventual calote. Por isso, cabe a ela fazer a avaliação do risco para precificar o valor cobrado pela antecipação.

Hoje em dia, com o advento das empresas financeiras digitais (fintechs), é possível fazer operações com recebíveis totalmente online, com ganhos significativos de tempo e esforço. O envio da documentação pode ser feito pela internet, simplificando o processo. A tecnologia também permite às instituições avaliar o risco de inadimplência com maior precisão, o que resulta em taxas mais ajustadas em relação à realidade de cada cliente. Há também ganho na liberação dos valores, que pode ocorrer em questão de horas.

Uma vez recebidos os recursos, é fundamental fazer o planejamento financeiro para dar-lhes a destinação adequada. As boas práticas de gestão aconselham usar as linhas de crédito conforme seu propósito original. Antecipação de duplicatas são excelentes para capital de giro e despesa mais imediatas. Mas existem outros produtos mais adequados para investimentos de longo prazo, como compra de maquinário, por exemplo.

É possível notar sinais de melhora de perspectiva para a economia brasileira no horizonte. O último mês de novembro, por exemplo, foi o melhor para as vendas no varejo desde 2000, segundo o IBGE. Mas os custos do crédito bancário ainda estão nas alturas e muitas vezes ele é inacessível – reflexo de um sistema altamente concentrado e burocratizado. Nesse cenário, a antecipação de recebíveis é uma opção que permite às empresas, especialmente as menores, se financiarem usando suas próprias capacidades.

Fonte: Administradores

voltar